sexta-feira, 15 de maio de 2009

Um pouquinho de Drummond...

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

5 comentários:

desejo disse...

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz...
Acho ke é isso...simples assim!

desejo disse...

You have the faith that kills the fear
of being real.
Yeah, this is real and now for the first time,
I'm finally alive.
You take my first inside your hand,
you squeeze,
I understand, that I get lost in the
politics of love.

You still surprise me every day,
You blanket me with grace,
You clear the static and you get me
reconnected

You put your fingers in my hair,
You broke into my head,
You sacrificed so you could feel like I do.

You know that it's easier alone.
You know that it's easier alone but
I can't be me without you

You see the day swallow me whole,
You see me bang my head off walls,
You put your face on mine and say,
"let it be".

You said that everyone gets lost,
You pressed your mouth against my lips,
You sing a song but there's no strategy
In your melody love.

You know that it's easier alone.
You know that it's easier alone but
I can't be me without you.

You have the faith that kills the fear
of being real.
Yeah, this is real and now for the
first time, I've arrived.

You know that it's easier alone.
You know that it's easier alone but
I can't be me without you.

Tatiana Costa disse...

Lindo Val!!BJosss

Valéria Leão disse...

Pois é, Zé. Tão simples mas complica-se tanto. Coisas de seres humanos. rsrs...

Tati, querida. Muito lindo mesmo!!!
Quisera eu ter essa serenidade sempre. To buscando. rs

Greice disse...

Val, muito lindo! Irei ler e internalizar todos os dias. rsrsr
Parabéns pelo espaço está muito especial assim como você.
Beijos